Buscar
  • beesoflove

“O Bees of Love se apaixonou por esta história de amor”

Em live, Georgia Buffara fala do livro escrito pelo pai de Ana Botafogo, parceira do Instituto

Uma conversa sobre amor familiar, solidariedade e o poder da arte. Nesta quarta-feira (25), Georgia Buffara, presidente do Instituto Bees of Love, e a bailarina Ana Botafogo fizeram uma live juntas para promover o livro “Ana Botafogo: palco e vida”, que será lançado no dia 1º de setembro, numa tarde de autógrafos em área aberta do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Feito em parceria com o Bees of Love, o livro terá venda destinada à reforma da Maternidade do Hospital Municipal Miguel Couto.


Durante a live, Georgia destacou que um dos objetivos da entidade em suas ações sociais é trazer mais positividade ao Rio, função que Ana Botafogo assume há anos com a sua dança. “Existem pessoas que não habitam o mesmo tempo e espaço que nós, elas nos encantam e chamam a orbitar seus corpos. E você encanta dentro do seu corpo! Eu acho que quando uma bailarina dança, com a música, vocês transmitem outro olhar”, disse.


A obra é de autoria do médico cirurgião Ernani Ernesto Fonseca, pai de Ana, que acompanhou de perto os 45 anos de sua trajetória de sucesso. A escrita encanta por ser amorosa, definiu Georgia. “Quando a gente lê o livro, tem a sensação de amor e paixão dos pais pela filha que vai crescendo. Depois vemos o amor da Ana pela dança. É o amor em dobro e a história contagia!”, exaltou.


Na live, Ana contou que o trabalho detalhado e minucioso de seu pai, de resgate de muitas memórias, chegou a surpreendê-la. “Ele começou porque a gente tinha caixas e caixas de recortes [de jornais]. E aquilo foi ficando ali… Eu casei e ficou na casa dele. Ele começou então a mexer e depois que já tinha organizado tudo, a gente foi só alimentando esse acervo. Quando eu vi o livro pronto, eu mesma não acreditei em tanta coisa que eu fiz, em tantos espetáculos que participei. Então é muito bom, porque é muita história”, comentou.


Baseada em recordações, registros da imprensa e nesta pesquisa do autor, que levou cerca de 15 anos neste trabalho, a publicação reconstrói momentos marcantes da vida pessoal e profissional da primeira bailarina, como o protagonismo em espetáculos clássicos, como “O lago dos cisnes”, “Giselle”, “Coppélia” e “O quebra-nozes”, entre muitos outros. A vivência de quatro décadas no Theatro Municipal, que Ana celebra este ano, está impressa em nada menos do que 908 páginas.


“É um livro de registro, de história e de um momento da dança no Rio de Janeiro. Que bom que eu pude participar! Esse livro e vocês [do Bees of Love] estão comemorando comigo os meus 40 anos de Municipal”, afirmou Ana na live. Georgia lembrou alguns momentos que foram retratados no livro e reforçou o quão inspiradora é a vivência de Ana no balé. “Você é um exemplo de superação não só na dança, mas também na vida”, afirma. “O Instituto abraçou a ideia do livro porque um pai, durante anos e anos da vida dele, juntou esse material todo. O Bees of Love se apaixonou por essa história de amor”, concluiu a presidente do Instituto.


Ana contou sua inspiração para sempre seguir adiante no balé: “Foi meu pai! Trabalhou até tão tarde e foi tão dedicado. Essa disciplina, garra e determinação vem muito disso”, orgulha-se a bailarina. A profissão de Ernani, médico, influenciou na escolha do projeto que será beneficiado pela venda do livro. O Instituto Bees of Love, que atua em várias frentes sociais, optou por destinar o recurso para reformar esta que é uma das mais importantes maternidades do Rio. O setor atende cerca de 200 mulheres por mês, moradoras de comunidades como Rocinha, Vidigal e Rio das Pedras, e precisa modernizar as instalações.


O Instituto já tem uma história de parceria com Ana Botafogo. Uma das ações que fizeram juntos foi uma gala solidária no Theatro Municipal, em dezembro de 2019, a fim de levantar recursos para a reforma da cortina da boca de cena do palco.


“É exatamente esse trabalho, o amor e o coletivo de vocês [do Bees of Love] que fazem a diferença. Uma ajudando a outra e, se uma não pode, a outra pode em dobro. Essa sempre foi a sensação que eu tive com vocês. Eu fico muito feliz de, mais uma vez, estar pertinho de vocês, de vocês terem me proporcionado essa alegria que é o meu livro”, disse Ana.


14 visualizações0 comentário